Repertórios socioculturais são conhecimentos adquiridos por meio de livros, documentários, filmes, séries, matérias, jornais, pesquisas e dados estatísticos. São usados, principalmente, nas argumentações de redações, onde os participantes utilizam referências para fortalecer suas ideias.

Com essas indicações, é possível desenvolver argumentações com temas relacionados aos documentários sobre redes sociais apresentados abaixo. 

No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os repertórios socioculturais são avaliados pela banca de correção por meio da Competência 3, que pede do estudante a capacidade de juntar informações externas ao defender seu ponto de vista.

Inclusive, assuntos como dependência tecnológica, cyberbullying e uso excessivo de aparelhos tecnológicos foram usados como temas de redação do Enem 2011 “Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado”, e Enem 2018 “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

A seguir, confira documentários para redação e que podem ser usados como repertório cultural ao argumentar sobre o tema de redes sociais. Além disso, o tema pode ser cobrado em questões interdisciplinares!

O Dilema das Redes (2020)

O documentário “O Dilema das Redes” relata os problemas que a internet, redes sociais, sites e aplicativos podem causar à saúde psicológica das pessoas. Com isso, ex-funcionários da área de tecnologia explicam como funcionam os algoritmos e como isso influencia no uso das redes em nosso cotidiano.

Os especialistas mostram de que forma a dependência tecnológica prejudica a saúde mental dos consumidores. Não obstante, o uso excessivo da tecnologia pode resultar em problemas maiores, como doenças crônicas, por exemplo obesidade e depressão.

Com isso, o documentário pode ser usado como repertório em redações com temas envolvendo tecnologia e saúde mental.

Império de Memes (2019)

O documentário, disponível na Netflix, apresenta o que é ser um influenciador na era digital e como a exposição impacta na vida pessoal e profissional dessas pessoas. Famosos como Paris Hilton e DJ Khaled aparecem no documentário ao demonstrarem como a vida digital os afeta.

O conteúdo mostra realidade que muitos influenciadores digitais vivem, em que enfrentam dificuldades e problemas psicológicos, mas não relatam em suas redes sociais e estão constantemente em busca de aprovação dos seus seguidores.

Desse modo, o filme pode ser utilizado em redações que abordam temas como, por exemplo, vida digital, saúde mental, busca pela aprovação e influenciadores da era moderna.

Privacidade Hackeada (2019)

Atualmente, as informações que compartilhamos podem moldar os usuários, o consumo e até mesmo nossos pensamentos. Com isso, o documentário “Privacidade Hackeada” conta sobre como, após o escândalo do Facebook nas eleições estadunidenses de 2016, os usuários se tornaram mais atentos às informações compartilhadas nas redes sociais.

Além disso, aborda como simples curtidas tornam-se valiosas para megacorporações e para políticos interessados em controlar e formar bolhas na sociedade. 

Like (2019)

Em contraposto aos demais documentários, “Like” mostra como é possível ter uma vida saudável e equilibrada com o real e virtual. Entretanto, não idealiza este universo, deixando claro que muitos usuários estão viciados no mundo digital.

O documentário poderia ser utilizado para argumentação ou contextualização em propostas de redação que envolvam mundo digital, saúde mental online, equilíbrio tecnológico e impactos das tecnologias na atualidade.

Eis os Delírios do Mundo Conectado  (2016)

Dirigido por Werner Herzog, o documentário analisa como as redes sociais afetam a sociedade. Dessa maneira, discute sobre as fronteiras entre o real e o digital, que já não existem mais e provocam diversas consequências no futuro da sociedade.

Temas que envolvem tecnologia, saúde mental e redes sociais estão presentes na sociedade atual, sendo cobrados, em diversas temáticas distintas em redações dissertativas. 

Generation Like (2014)

Explorando o comportamento dos adolescentes nas redes sociais, o documentário “Generation Like”, de cinco episódios, mostra como estes jovens interagem com a internet. Diferente de antes, hoje estes vivem em meio às mídias, com celebridades, filmes, marcas, séries e redes sociais. 

O documentário foi usado como repertório em diversas redações como argumentação para temáticas que envolvem o consumo de redes sociais pelos jovens, a idolatração por celebridades e a dependência tecnológica. 

Celebs, Brands e Fake Fans (2013)

O documentário traz a temática de como surgem celebridades digitais artificiais. Neste, especialistas mostram o lado nada glamouroso da internet, em que o número de curtidas determinada o nível social e importância de uma pessoa.

Analisando os efeitos negativos da exposição constante nas redes sociais, o documentário mostra como funciona a compra de seguidores, busca de fãs falsos e a maneira forjam uma relevância inexistentes.

Assim, temas que envolvem dignidade humana e manipulação dos usuários, como “A bajulação: virtude ou defeito?”, temas de redação da Unesp 2012 poderiam utilizar o documentário como referência para a proposta de redação.

 Veja também: 
- Literatura: como usar a matéria na redação? 

Estude com o Estratégia Vestibulares

E aí estrategista, agora você sabe o que são repertórios culturais, como usá-los nas redações e documentários para vestibular. No Estratégia Vestibulares você tem acesso a cursos e simulados que te ajudarão a arrasar nas redações!

Você pode gostar também