Última atualizaçao em: 05 de Novembro de 2020, ás 20:29

Olá, queridos e queridas do blog. Tudo bem? Certamente, você já se pegou curioso olhando aquelas bolhinhas quando põe uma bebida gaseificada em um copo ou caneca, não é? E você já imaginou que isso pode ser SUJEIRA??? Dá uma imagem nessa imagem. Você PRECISA saber disso…

O que você acha? Essa caneca está devidamente limpa?

Imagem: Patrick Fore/Unsplash

Contribuição Hidrofóbica

Resumindo: semelhante dissolve semelhante, ou seja, polar dissolve polar e apolar dissolve apolar. O gás carbônico é apolar, enquanto a água é polar. O óleo e a gordura também são apolares e não se dissolvem em água, sendo assim, chamados de materiais hidrofóbicos (hidro: água e fobia: aversão).

Algumas vezes, a parede de uma caneca apresenta um pouco de óleo ou gordura, que são oriundos de alimentos, da pele humana, da esponja suja de alimentos, de um pano úmido sujo de louça mal limpa etc.

Quando esse material oleoso ou gorduroso é acumulado na superfície de uma caneca, a interação do gás carbônico com a porção hidrofóbica é maior e observa-se o acúmulo de gás na parede do líquido.

Contribuição da absorção

A adsorção, quando um material fica preso na superfície de outro, é o principal fator da nucleação do gás carbônico. As superfícies irregulares dos sólidos (impurezas ou parede do recipiente) formam os pontos de nucleação.

Um exemplo desse fenômeno é quando se insere gelo em um refrigerante, porque o contato da superfície irregular do gelo com o gás carbônico produz a espuma, se o refrigerante estiver quente, “nó! aí sim!” (diria os mineiros).

Recipientes plásticos são mais apolares e tendem a adsorver mais gases. Lembre daquele copo plástico, o branquinho mesmo, quando colocado refrigerante, espuma mais que tudo.

Se o refrigerante estiver quente e no copo de plástico, “nu!!” (diria os mineiros) [nota: “nu!” > “nó!”]. Muitas vezes, o material hidrofóbico combina com partículas sólidas insolúveis em água, tais como, areia, poeira, fuligem etc. Essa combinação forma o mais poderoso sistema de nucleação.

A partir desse momento o seu sossego de colocar uma bebida gaseificada em um copo A-C-A-B-O-U. Cada bolha, uma tensão e uma lembrança dessa postagem.

Ahhh, nem adianta dizer que o álcool da cerveja mata os germes, porque essa desinfecção só é possível em sistemas que apresente 70% de álcool.

P.s.: “nó!” é advindo de “Nossa Senhora” (Azevedo, Isa)

Abraços!

Instagram: @professorprazeres

CURSOS PARA VESTIBULAR

0 Shares:
Você pode gostar também