A área da Obstetrícia no mundo das graduações é relativamente nova. O curso vem crescendo em relevância nos últimos anos: teve nota de corte média de 758 pontos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) de 2020. O profissional de Obstetrícia está apto a desempenhar várias funções no cuidado do processo de gestação. 

Esse profissional é fundamental para o acompanhamento da gestante, pois ajuda a mulher durante a gravidez, no parto e no pós-parto. Podem trabalhar também com ações de educação sobre reprodução humana e eventos de promoção na área da saúde. 

Para se ter uma ideia, o curso de Obstetrícia na Universidade de São Paulo (USP) teve um aumento de dois pontos na nota de corte, chegando a 39 como pontuação mínima para passar para a segunda fase da Fuvest. 

Se você está prestando vestibular e tem interesse na carreira de Obstetrícia, neste texto  falamos sobre grade curricular, áreas de atuação, perfil do profissional e mais. Confira o conteúdo que o Estratégia Vestibulares preparou para você. 

O que é Obstetrícia?

A Obstetrícia é a especialidade na área da saúde que cuida da gestante desde o momento do início da gravidez até o pós-parto. A vertente aborda os aspectos fisiológicos (processos normais) e os patológicos (possíveis doenças) da gestação durante o pré-natal, o parto e o pós-parto. 

O termo “Obstetrícia” tem origem do latim, e deriva do verbo “obstare” que pode significar “estar ao lado” ou também “aquele que assiste à gestante” e “aquele que presta auxílio”. 

Existe uma diferença entre o profissional obstetra e o obstetriz. O primeiro é formado em Medicina e faz uma residência em Ginecologia e Obstetrícia. E o segundo que se forma pelo curso de Obstetrícia (o único no Brasil, é oferecido pela USP).

O que faz um obstetriz? 

O obstetriz poderá exercer a função de forma individual ou em conjunto com equipes de saúde e de enfermagem em maternidades, centros de parto, ambulatórios, consultórios, unidades de saúde, casas ou em qualquer outro tipo de serviço de saúde pública e privada. Também pode seguir a área acadêmica, trabalhando com pesquisa em instituições de ensino. 

A profissão de obstetriz é certificada pelo Conselho Regional de Enfermagem (Coren) como profissional que integra ou não a equipe de enfermagem. Tendo uma formação geral voltada para a saúde da mulher, pode atuar em cargos equivalentes às obstetrizes ou às enfermeiras obstétricas.

“As áreas de atuação da obstetriz envolvem ações de educação e promoção de saúde, atendimento aos processos da maternidade, de saúde reprodutiva, gestação e cuidado pré-natal, atenção ao parto, pós-parto e puerpério (fase de readaptação materna pós-nascimento), aleitamento materno e cuidados com o recém-nascido e lactente”, explica Julia Ros, estudante de Obstetrícia pela Universidade de São Paulo (USP). 

Como funciona o curso de Obstetrícia?

A graduação de Obstetrícia no Brasil é oferecida na modalidade de Bacharelado e Licenciatura e tem duração de quatro anos. Para obter o diploma, é obrigatório passar por um estágio de no mínimo 1.260 horas e a apresentação de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Segundo o Ministério da Educação (MEC), há três cursos de bacharelado em território nacional, dois de “Enfermagem e Obstetrícia” (UFRJ e UESB) e um de Obstetrícia (USP).

Para cursar Obstetrícia é preciso graduar-se em Medicina ou Enfermagem antes?

Não. O curso de Obstetrícia é um curso de graduação, bacharelado, que forma obstetrizes, assim como o curso de Enfermagem forma enfermeiros e Medicina forma médicos. O curso tem duração de nove semestres (ou 4 anos e meio) e suas disciplinas abarcam tanto áreas da Enfermagem quanto áreas das Ciências Humanas, como Psicologia, Antropologia e Sociologia, voltadas para a qualidade do atendimento em saúde. 

Com foco para o curso de obstetrícia da USP, localizado na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), também conhecida como USP Leste, o diferencial do curso está no Ciclo Básico, com uma série de disciplinas obrigatórias com o intuito de tornar a unidade e seus graduandos, profissionais multidisciplinares.

Grade curricular do curso de Obstetrícia

O curso de Obstetrícia aborda áreas da Psicologia, Sociologia, Antropologia, Biologia, Embriologia e Genética, Fisiologia, Imunologia e Farmacologia, além de cuidados e assistência em Enfermagem, Administração de serviços de saúde, entre outras. Confira a seguir a grade curricular do curso de Obstetrícia*:

  • Biologia Celular;
  • O Ciclo Vital Humano;
  • Tratamento e Análise de Dados;
  • Fundamentos Biológicos;
  • Processos Psicossociais na Assistência à Saúde;
  • Resolução de Problemas;
  • Anatomia do Sistema Reprodutor;
  • Metodologia da Pesquisa e Bioestatística;
  • Microbiologia Básica;
  • Imunologia Básica; 
  • Farmacologia; 
  • Embriologia e Genética; 
  • Biossegurança;
  • Processos Patológicos. 
  • Ética e Legislação Profissional;
  • Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos
  • Relações Humanas e Sociais, e Cuidado em Saúde;
  • Metodologia da Pesquisa e Bioestatística;
  • Assistência à Saúde da Mulher na Família e na Comunidade;
  • Terapias Complementares na Assistência;
  • Assistência Perioperatória;
  • Assistência às Urgências e Emergências; e
  • História Social da Criança e da Família. 

*O parâmetro utilizado foi a grade curricular do curso de Obstetrícia da USP

Qual o perfil de um estudante de Obstetrícia? 

Para a estudante Julia Ros, o graduando em obstetrícia deve ter afinidade com as áreas de Biológicas, Ciências Humanas, Sociais e de Saúde, visto que matérias dessas áreas permeiam o curso. Na prática, é de suma importância a característica de saber assistir, cuidar e gerenciar as situações com as gestantes. 

“Além disso, é papel da obstetriz combater práticas antiquadas e sem evidências científicas na atenção à saúde da mulher, orientar e conscientizar sobre a violência obstétrica e o direito das mulheres sobre seu corpo e sua integridade”, completa. 

Abaixo, confira uma lista elaborada pela Confederação Internacional de Obstetrizes sobre algumas competências essenciais para o exercício da profissão: 

  • Demonstrar comportamento que promova a confiança da população na profissão;
  • Participar em processos de autoavaliação, revisão por pares e outras atividades para melhoria da qualidade da atenção obstétrica;
  • Mostrar habilidades de autocontrole em relação à gestão do tempo, às incertezas, às mudanças e ao manejo do estresse;
  • Assumir responsabilidade pela segurança pessoal em diferentes ambientes de prática;
  • Apoiar pesquisa em obstetrícia, participando da sua condução;
  • Facilitar trabalho em equipe e cuidado interprofissional com outros prestadores de serviços (incluindo alunos) e grupos comunitários/entidades;
  • Estabelecer e manter relações de apoio e de colaboração com indivíduos, agências e instituições que fazem parte das redes de referência; 
  • Transmitir informação com precisão e clareza e responder às necessidades dos indivíduos. 

Para conferir a lista completa de conhecimentos, habilidades e competências, confira o documento na íntegra. 

Onde estudar Obstetrícia?

O curso ainda se encontra escasso no País, atualmente temos três universidades que oferecem a graduação, sendo: 

  • Universidade de São Paulo
    USP Leste – São Paulo – SP – 4 estrelas
  • Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
    UESB – Jequié – BA – 4 estrelas
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro
    UFRJ – Rio de Janeiro – RJ – 4 estrelas

*O curso na federal do Rio de Janeiro é oferecido na modalidade de licenciatura

Especializações

Segundo o MEC, há disponibilidade de 47 cursos de pós-graduação na modalidade de obstetrícia. Abaixo, confira lista com algumas das opções: 

  • Especialização em Fisioterapia e Urologia em Obstetrícia;
  • Fisioterapia Aplicada à Urinoginecologia e Obstetrícia;
  • Fisioterapia Gineco-Obstetrícia;
  • Ginecologia e Obstetrícia;
  • Imagem em Ginecologia, Mastologia e Obstetrícia;
  • MBA em Enfermagem em Obstetrícia;
  • Obstetrícia;
  • Obstetrícia e Unidade de Terapia Intensiva;
  • Pós-graduação em Ecografia em Ginecologia e Obstetrícia;
  • Programa de Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia;
  • Residência em Enfermagem e Obstetrícia.

Média salarial de um obstetriz 

Segundo o Banco Nacional de Empregos (BNE), a média salarial de um profissional de obstetrícia no Brasil varia entre R$ 5,5 mil a R$ 18 mil reais. O valor varia conforme a experiência do profissional. O BNE informa que 84% dos profissionais são do sexo feminino e que o salário chega a ser maior para aqueles que trabalham e mais de um lugar. 

A seguir, confira mais detalhes da faixa salarial da profissão:

Obstetra Júnior (2 a 4 anos de experiência)

  • Mínimo: R$ 5.459
  • Média: R$ 7.261
  • Máximo: R$ 9.227

Obstetra Pleno (4 a 6 anos de experiência)

  • Mínimo: R$ 6.824
  • Média: R$ 9.076
  • Máximo: R$ 11.533

Obstetra Sênior (6 a 8 anos de experiência)

  • Mínimo: R$ 8.531
  • Média: R$ 11.346
  • Máximo: R$ 14.417

Obstetra Master (mais de 8 anos de experiência)

  • Mínimo: R$ 10.663
  • Média: R$ 14.182

Estude com o Estratégia Vestibulares

Gostou do texto? Para te ajudar a realizar o sonho de seguir a carreira de um Obstetriz, o Estratégia Vestibulares oferece para você cursos da Uesb e da Fuvest para te ajudar a conquistar seu objetivo! O Estratégia tem simulados gratuitos e banco de questões com mais de 240 mil perguntas. Não perca tempo e venha fazer parte do Estratégia!

banco de questões estratégia vestibulares
Você pode gostar também