Última atualizaçao em: 05 de Novembro de 2020, ás 19:54

Os verbos são irregulares, mas a análise não precisa ser!

Olá, vestibulandos!

Quem nunca teve dificuldade com verbo, que atire a primeira pedra! Hoje, a dica que eu gostaria de dar para vocês vale para a VIDA! Isso porque a classe morfológica do verbo faz parte do nosso cotidiano. Precisamos constantemente usar verbos para nos expressar, e nem sempre são aqueles mais fáceis.

Os verbos são uma classe morfológica que tem uma função bem específica. Além de uma ação, podem expressar estado e fenômeno da natureza. Agora, aqui é que está o problema: eles podem ser regulares ou irregulares.

Gente, no geral, basta decorar as terminações dos verbos, isto é, as suas flexões. Se o verbo for regular, essas terminações serão válidas para qualquer verbo da mesma conjugação. Enquanto eles são regulares, tá tranquilo, tá favorável. O bicho pega quando eles são irregulares. Certo!? ERRADO! Porque você está estudando aqui com a gente e, por isso, não vai ter mais dificuldade! Nem mesmo com os verbos mais cabeludos.

O bizu central não tem erro: basta verificar como um verbo se comporta. O quê? Como assim, profa? Se ele está agindo corretamente ou não? Não é isso, corujinhas indagadoras. Tem a ver com o seguinte lema: mesmo dentro da irregularidade, podemos encontrar traços regulares. Quer dizer que conseguimos traçar padrões de análise mesmo para os verbos mais irregulares. Isso acontece porque os verbos irregulares costumam variar sua conjugação em pessoas do discurso e modos específicos.

Como assim!? Prometi que ia ser simples e já estou me complicando, não é mesmo? Não se preocupem, porque, antes de adentrarmos nos bizus para verbos irregulares, vamos fazer uma breve revisão sobre teoria verbal.

Aqui vocês vão encontrar um artigo completo, sem preguiça, que vai ajudá-los em várias áreas, não só na Gramática, mas também na Interpretação de Texto, já que iremos trabalhar também um pouco com Semântica. Esse conteúdo pode ajudá-los até mesmo na Literatura!

Vamos lá!? #corujinhaestudiosa #agaleranãopara #sempreguiça

Revisão de Teoria Verbal

O verbo é a palavra com maior número de variações possíveis em Língua Portuguesa. Ele se divide entre radical e desinência. O radical é a parte invariável, na qual está o significado do verbo. É na desinência, por sua vez, que ocorrem as variações.

#Bizu: a desinência também está associada à flexão. Trata-se da terminação da palavra, a partir da qual podemos identificar certos aspectos.

Ex.: Amarei Desinência

Radical

Pois bem. Vamos conferir agora como um verbo varia. Há cinco possibilidades de variação que um verbo pode apresentar:

  • Tempo: passado (sinônimo de pretérito); presente e futuro
  • Modo: indicativo (certeza); subjuntivo (hipótese) e imperativo (ordem)
  • Pessoa (do discurso): 1ª  pessoa –  “eu”/”nós”; 2ª  pessoa – “tu”/”vós” e 3ª pessoa – “ele(a)”/”eles(as)”
  • Número: singular e plural
  • Voz: ativa; passiva e reflexiva

E ainda tem mais! Um verbo pode ser classificado de acordo com uma forma nominal. O que é isso!? É fácil, você sabe bem:

  • Infinitivo: verbos terminados em -ar (1ª conjugação); -er (2ª conjugação) e -ir (3ª conjugação). Exemplos: amar, correr, sorrir.
  • Gerúndio: verbos terminados em -ando (1ª conjugação); -endo (2ª conjugação) e -indo (3ª conjugação). Exemplos: amando, correndo, sorrindo.
  • Particípio: verbos terminados em -ado (1ª conjugação) e -ido (2ª e 3ª conjugações). Exemplos: amado, corrido, sorrido.

Verbos Irregulares

Como disse: até aqui, tudo bem. Mas agora vamos ao que interessa!

Os verbos regulares se conjugam segundo um paradigma, isto é, um padrão. Já os verbos irregulares, quando flexionados, mudam algo em sua estrutura: pode ser a vogal temática, ou o seu radical, ou as suas desinências.

Vamos entender isso aí. Primeiro, veja um exemplo de verbo regular, conjugado na 1ª pessoa do singular (“eu”):

amar → amo
beber → bebo
partir → parto

A partir desse exemplo, verificamos que, independentemente da conjugação (1ª, 2ª ou 3ª), os verbos apresentam a mesma terminação ao serem conjugados no presente do indicativo: “o”.

Agora, vamos estudar os verbos irregulares propriamente ditos. São aqueles que não seguem paradigmas, ou seja, modelos, em suas respectivas conjugações. Eles podem apresentar irregularidades:

  • Nas desinências. Exemplo: verbo “dar”. Se conjugado no presente do indicativo da 1ª pessoa do singular: eu dou.
  • Nos radicais. Exemplo: verbo “subir”. Se conjugado no presente do indicativo da 1ª pessoa do singular: eu subo. Mas, se conjugado em outras pessoas: tu sobes, ele sobe.

Segue abaixo uma lista de verbos irregulares com mais chance de cair numa prova de vestibular, e/ou com maior probabilidade de serem usados na redação, por exemplo.

10 verbos irregulares para você nunca mais esquecer

Atenção decore!

Logo mais, selecionei 10 verbos do seu cotidiano para você aprender a usar corretamente, tanto na sua vida quanto na sua prova. Eles aparecem em ordem alfabética e estão organizados de acordo com os tempos, pessoas e modos mais problemáticos.

Por isso, ofereço 3 exemplos de conjugação mais problemáticas, pois, a partir daí, você é capaz de inferir outras formas.

Aderir

Significado
Esse verbo em particular significa: adotar, tornar-se adepto de; juntar-se; aceitar ligar-se.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: esse verbo é transitivo indireto e requer a preposição “a”. Logo, se a palavra consecutiva utilizada for feminina, deve-se utilizar crase. Exemplos de aplicação:
*O governo aderiu à proposta.
*Não adiro àquilo com que não concordo.

Conjugações mais problemáticas de “aderir”:

Presente do indicativoPretérito mais que perfeito do indicativoPresente do subjuntivo
(QUE)
EUadiroaderira*adira*
TUaderesaderirasadiras
ELEadereaderira*adira*
NÓSaderimosaderamos** adiramos
VÓSaderisadereis**adirais
ELESaderemaderiramadiram

*Se liga no bizu: algumas vezes, a 1ª pessoa e a 3ª pessoa do singular têm conjugações idênticas. O que ajuda a distingui-las é o contexto.
**Se liga no bizu supremo: alguns verbos levam acento agudo dependendo de sua conjugação, mesmo que esse acento não faça parte de sua composição original.

Está é difícil - Estratégia Vestibulares

Arguir

Significado:
Esse verbo em particular significa: fazer perguntas para avaliar um conhecimento; interrogar; acusar; censurar; repreender, dando razões.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: conforme o Novo Acordo Ortográfico, o trema caiu de todas as palavras que não forem substantivos próprios. Logo, o acento do trema não é mais utilizado com esse verbo. Exemplos de aplicação:
*Vou arguir bem na minha qualificação.
*Os cientistas arguiram que não foi possível criar uma vacina.

Conjugações mais problemáticas de “arguir”:

Presente do indicativo Pretérito imperfeito indicativo Presente do subjuntivo
(QUE)
EUarguoarguía*argua*
TUarguisarguíasarguas
ELEarguiarguía*argua*
NÓSarguimosarguíamosarguamos
VÓSarguisarguíeisarguais
ELESarguemarguíamarguam

Caber

Significado
Esse verbo em particular significa: ter quantidade ou tamanho que permite ser contido; poder entrar ou atravessar; ser adequado, compatível, oportuno.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: esse verbo pode ser utilizado não só no sentido concreto como também no abstrato. Exemplos de aplicação:
*O orçamento dos equipamentos não cabe nos cofres públicos.
*O financiamento das instituições universitárias não cabe no planejamento.
*Se couber uma justificativa, proponho falá-la agora.

Conjugações mais problemáticas de “caber”:

Presente do indicativo Pretérito imperfeito do subjuntivo
(SE)
Futuro do subjuntivo
(QUANDO)
EUcaibocoubesse*couber*
TUcabescoubessescouberes
ELEcabecoubesse*couber*
NÓScabemoscoubéssemoscoubermos
VÓS cabeiscoubésseiscouberdes
ELEScabemcoubessemcouberem

Maquiar

Significado
Esse verbo em particular significa: desfalcar; subtrair parte de; forjar.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: esse verbo pode ser utilizado não só no sentido concreto como também no abstrato. Exemplos de aplicação:
*A prefeitura maquiou os dados para não assustar a população.
*Maquiaram as estatísticas.

Conjugações mais problemáticas de “maquiar”:

Presente do indicativoPresente do subjuntivo
(QUE)
Pretérito do subjuntivo
(SE)
EUmaquiomaquie*maquiasse*
TUmaquiasmaquiesmaquiasses
ELEmaquiamaquie*maquiasse*
NÓSmaquiamosmaquiemosmaquiássemos
VÓSmaquiaismaquieismaquiásseis
ELESmaquiammaquiemmaquiassem

Medir

Significado
Esse verbo em particular significa: verificar a medida ou grandeza de, com base num instrumento ou padrão estabelecido; avaliar; servir de medida para; ponderar.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: esse verbo, a depender da pessoa da sua conjugação, leva uma letra extra que antes sequer existia na sua composição: “ç”. Exemplos de aplicação:
*Não medimos todas as consequências da pandemia.
*O ministério mede precauções contra a doença.

Conjugações mais problemáticas de “medir”:

Presente do indicativoPresente do subjuntivo
(QUE)
Pretérito do subjuntivo
(SE)
EUmeçomeça*medisse*
TUmedesmeçasmedisses
ELEmedemeça*medisse*
NÓSmedimosmeçamosmedíssemos
VÓSmedismeçaismedísseis
ELESmedemmeçammedissem
Preste mais atenção

Não confunda!
Há diferença entre a linguagem falada e a escrita na grafia, mas oralmente essas formas se pronunciam da mesma maneira:

*me disse (separado): disse a mim
*medisse (junto): 1ª ou 3ª pessoa do singular do verbo “medir” no tempo pretérito no modo subjuntivo.

Polir

Significado
Esse verbo em particular significa: proporcionar brilho; lustrar; melhorar de estilo.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: no movimento literário do Parnasianismo, os poetas buscavam a perfeição. Para eles, a poesia deveria passar por um “polimento”, como se fosse uma escultura.

Fique atento!

Além disso, a depender da conjugação, ele se conjuga igual ao verbo “pular”. Atenção: nesse caso, o que é determinante é o contexto. Exemplos de aplicação:
*Minha mãe poliu o piso.
*Pula a sua redação para que ela fique perfeita.

Conjugações mais problemáticas de “polir”:

Presente do indicativo Presente do subjuntivo
(QUE)
Pretérito do subjuntivo
(SE)
EUpulopula*polisse*
TUpulespulaspolisses
ELEpulepula*polisse*
NÓSpolimospulamospolíssemos
VÓSpolispulaispolísseis
ELESpulempulampolissem

Propor

Significado
Esse verbo em particular significa: apresentar sugestão ou opinião; sugerir; mostrar-se disposto; ter como objetivo.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: a depender de seu uso em algumas 3as pessoas, sua forma sai nasalizada. Exemplos de aplicação:
*Se você se propusesse a estudar na quarentena, você passaria no vestibular.
*Proponha-se a fazer uma redação por semana.

Conjugações mais problemáticas de “propor”:

Presente do indicativo Pretérito imperfeito do indicativo Pretérito do subjuntivo
(SE)
EUproponhopropunha*propusesse*
TUpropõespropunhaspropusesses
ELEpropõepropunha*propusesse*
NÓS propomospropúnhamospropuséssemos
VÓSpropondespropúnheispropusésseis
ELESpropõempropunhampropusessem

Não confunda!
Há diferença entre a linguagem falada e a escrita, mas oralmente essas formas se pronunciam da mesma maneira: propõe (3ª pessoa do singular) ≠ propõem (3ª pessoa do plural)

Requerer

Significado
Esse verbo em particular significa: pedir geralmente por requerimento (a alguém ou aos poderes públicos).

Como usá-lo?
Se liga no bizu: esse verbo é de 2ª conjugação (requerer) e não de 3ª (requerir não existe!). Exemplos de aplicação:
*Os deputados requereram uma resposta.
*Não consigo cumprir o que eu meu pai me requereu.

Conjugações mais problemáticas de “requereu”:

Presente do indicativo Presente do subjuntivo
(QUE)
Pretérito do subjuntivo
(SE)
EU requeiro requeira* requeresse*
TU requeres requeiras requeresses
ELE requer** requeira* requeresse*
NÓS  requeremos requeiramos requerêssemos
VÓS requereis requeirais requerêsseis
ELES requerem requeiram requeressem
Esclarecendo!

Aqui a gente não fica só nas dicas, a gente vai além!!!

Atenção para mais algumas particularidades: “requiser” não existe no subjuntivo. Além disso, esse verbo, a depender da conjugação, leva um acento extra que sequer existia na sua conjugação inicial: o acento circunflexo.

Ver

Significado
Esse verbo em particular significa: captar imagem por meio dos olhos; enxergar; perceber; estar presente, assistir; chegar a uma conclusão; pensar sobre.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: esse é um verbo polissêmico (tem vários sentidos). O interessante no seu caso é justamente explorar ao máximo o seu significado. Exemplos de aplicação:
*Vou ver e te falo.
*O jovem viu o acidente.

Conjugações mais problemáticas de “ver”:

Presente do indicativo Pretérito imperfeito do indicativo Futuro do subjuntivo
(QUANDO)
EU vejo via* vir*
TU vês vias vires
ELE via* vir*
NÓS  vemos víamos virmos
VÓS vedes víeis virdes
ELES veem viam virem
Está cai na prova!

Se liga no bizu supremo!
Conforme o Novo Acordo Ortográfico, vogais duplas, como “ee” e “oo” não são mais acentuadas com acento circunflexo. Exemplos: eles(as) veem, o voo, o enjoo.

Além disso, quando um verbo é conjugado, ele pode parecer exatamente igual à forma de outra palavra na Língua Portuguesa. Inclusive, as palavras podem até ser de outra classe morfológica, por exemplo, via (verbo “ver” conjugado na 1ª pessoa do singular no pretérito do indicativo) e o substantivo via (rua, caminho). 

A isso damos o nome de homônimos perfeitos, homógrafos e homófonos: possuem escrita e acústica iguais, mas significados diferentes. Por fim, o subjuntivo de “ver” é igual a outro verbo que já existe identicamente no infinitivo: “vir”. Mas o significado é diferente!!! Novamente, já sabe, né!? Já tá ligado! O que vale aqui é o contexto!

Titubear

Significado
Esse verbo em particular significa: mostrar-se indeciso, hesitante; vacilar; falar com hesitação, dizer palavras incompletas; gaguejar; não poder manter-se de pé.

Como usá-lo?
Se liga no bizu: esse é um verbo pouco conhecido. É uma ótima chance de você aplicá-lo e com isso demonstrar conhecimento. Exemplos de aplicação:
*Não titubeie ante questões difíceis.
*Se você titubear, seu concorrente passará na sua frente.

Conjugações mais problemáticas de “titubear”:

Presente do indicativo Futuro do presente do indicativo Presente do subjuntivo
(QUE)
EU titubeio titubeemos titubeie*
TU titubeias titubearás titubeies
ELE titubeia titubeará titubeie*
NÓS  titubeamos titubearemos titubeemos
VÓS titubeais titubeareis titubeeis
ELES titubeiam titubearão titubeiem

Se liga no bizu supremo!
Na sua conjugação, esse verbo leva uma vogal a mais que não havia na sua composição original: “i”.

Verbos defectivos e anômalos

Vamos acompanhar a tabela abaixo para entender essa distinção.

VERBOS DEFECTIVOS VERBOS ANÔMALOS
São verbos de conjugação incompleta, isto é, nem todas as pessoas do discurso vão apresentar a sua respectiva conjugação. Geralmente, são de 3ª conjugação (terminados em -ir). Exemplos: abolir, aturdir, brandir, carpir, colorir, demolir, emergir, exaurir, fremir, fulgir, haurir, imergir, retorquir, ungir.São verbos muito irregulares, com anomalias profundas em seus radicais. Exemplos: ser e ir.

Exemplo de conjugação de um verbo defectivo

Pessoa gramatical Presente do indicativo
EU
TU aboles
ELE abole
NÓS abolimos
VÓS  abolis
ELES abolem

Vocês já conhecem o Mário!?

Estranharam!? O Mário consiste num bizu básico para conjugar certos verbos complicados. Segue abaixo.

Verbos irregulares que seguem a mesa conjugação

Finalmente…

Ufa, agora você aprendeu muito! E o melhor, aqui com a gente! A concorrência no máximo para na análise. Nós ainda explicamos e comentamos os verbos! Por isso, estudar com a gente é o diferencial! Se o artigo é assim, imagine as aulas!?

O objetivo desse artigo foi suprir uma carência no seu estudo e concatenar juntas, no mesmo lugar, informações importantes para a sua aprovação! 

Por hoje é isso, pessoal. Agora são muitas informações para processar. Muito obrigada pelo interesse e até a próxima!

Referências bibliográficas

AULETE DIGITAL. Disponível em: http://www.aulete.com.br/. Acesso em: 24 de maio de 2020.

CONJUGAÇÃO DE VERBOS EM PORTUGUÊS. Disponível em: https://www.conjugacao.com.br/. Acesso em: 24 de maio de 2020.

SABBAG, Eduardo de Moraes. Redação forense e elementos da gramática. 2. ed. São Paulo: Premier Máxima, 2006.

CURSOS VESTIBULAR

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também