Última atualizaçao em: 05 de Novembro de 2020, ás 20:17

A maioria dos efeitos de sentido de textos citados até então tem um objetivo comum: o humor.

Situações cômicas ou potencialmente humorísticas compartilham da característica do efeito surpresa. O humor reside em ocorrer algo fora do esperado numa situação.

Há diversas situações em que o humor pode aparecer numa prova de vestibular.

Há as tirinhas e charges, que aliam texto e imagem para criar efeito cômico; há anedotas ou pequenos contos; e há as crônicas, frequentemente acessadas como forma de gerar o riso.

Vamos ver alguns exemplos:

Humor: anedotas

Textos narrativos curtos e de enredo simples. A linguagem costuma ser coloquial e lida com conhecimentos e situações populares. Normalmente são de autoria desconhecida: pertencem ao conhecimento do dia a dia.

Exemplos:

A professora pergunta a Joãozinho:
– Joãozinho, se eu tenho duas mangas em uma mão e duas na outra, o que eu tenho?
– Mãos grandes!

Humor: charges

Produções jornalísticas visuais que partem de temas da atualidade para produzir situações cômicas ou críticas.

Exemplos:

Charge de Renato Peters sobre o rompimento da Barragem da Vale em Brumadinho. (Fonte: Twitter do autor)

Humor: crônicas

Exemplos:

“No cinema de antigamente você já sabia: quando alguém tossia, era porque iria morrer em pouco tempo. Tosse nunca significava apenas algo preso na garganta ou uma gripe passageira — era morte certa. Quando um casal se beijava apaixonadamente e em seguida desparecia da tela era sinal que tinham se deitado. E depois, não falhava: a mulher aparecia grávida. Nunca se ficava sabendo o que acontecia, exatamente, depois que o casal desaparecia da tela, a não ser que o filme fosse francês.”

(Vida de cinema, de Luis Fernando Veríssimo)

Como cai no Vestibular?

humor
O Estado de S.Paulo , 13/04/2016.

O efeito de humor que se obtém na tirinha decorre, principalmente,

a) da despreocupação de Zé Lelé com a situação de risco em que se encontra seu amigo.
b) da variedade linguística empregada na fala do segundo quadrinho.
c) da incoerência que se verifica na relação entre fala e imagem.
d) da ambiguidade que pode resultar da compreensão da primeira fala.
e) da expressão de pavor da personagem representada no primeiro quadrinho.

Gabarito: D

Comentários

O humor da tirinha se encontra no som parecido entre o imperativo do verbo “acordar” e o substantivo “corda”. Como está pendurado no penhasco, Chico Bento precisa que lhe alcancem uma corda para se segurar.

Zé Lelé, ao escutar o que Chico disse, pensa que ele está lhe ordenando que acorde. Portanto, a alternativa D é a correta.

A alternativa A está incorreta, pois não se pode assumir que Zé Lelé sequer saiba da situação em que está o amigo, já que ele não aparece no quadro.

A alternativa B está incorreta, pois apesar de existir uma variedade linguística no segundo quadrinho, não é do modo de falar que decorre o humor, mas sim do som de “a corda”, que aqui não apresenta variedade alguma.

A alternativa C está incorreta, pois na imagem vê-se Chico Bento pendurado no penhasco e na fala seu pedido por uma corda para que possa se salvar. Portanto, as mensagens estão alinhadas. A alternativa E está incorreta, pois a expressão da personagem não é o principal fator de humor, mas sim sua fala.

Portanto, as mensagens estão alinhadas. A alternativa E está incorreta, pois a expressão da personagem não é o principal fator de humor, mas sim sua fala.

CURSOS PARA VESTIBULAR

Espero que tenham gostado deste artigo tratando sobre Ironia. Siga-me nas redes sociais:

Instagram: @professoracelinagil

Facebook: @professora.celina.gil

0 Shares:
Você pode gostar também