Durante a escrita de uma redação, a correta estrutura da frase é essencial para a perfeita compreensão da mensagem. Por isso, a utilização dos conectivos, concordância nominal e verbal, sintaxe e morfologia adequadas é muito importante nos vestibulares.

Com base nisso, o Estratégia Vestibulares preparou um artigo que resume as características, conceitos e relevâncias da concordância nominal. Confira!

O que é concordância nominal?

A concordância nominal consiste na organização dos substantivos na frase, de forma que os que os termos que se ligam a ele sejam compatíveis em termos de gênero e número. 

Isso acontece, por exemplo, quando adaptamos um adjetivo ao substantivo sujeito da frase. Veja: em “a natureza é bela” a oração não admite as configurações “belo” ou “belas” – situação que demonstra a concordância entre o gênero feminino e a singularidade da palavra “natureza”.

Quais os tipos de concordância nominal?

O conceito de concordância nominal pode abranger diversas classificações, aqui serão debatidas as concordâncias adjetivas, numerais, substantivas e expressivas. Veja a seguir!

Adjetiva

Para que a adjetivação de um substantivo seja coerente, é necessário que a concordância nominal se adeque em gênero e número.

Por exemplo, na frase “o vestibular é complicado.” tanto o substantivo “vestibular” como o adjetivo “complicado” estão flexionados no gênero masculino singular, de forma que os termos concordam e formam um enunciado coerente. 

Outra aplicação está relacionada a adjetivos que se unem a vários substantivos/sujeitos. Como em:

  • “A faca e o pão envelhecido” – a flexão do adjetivo para o singular maculino permite inferir que somente o pão estava envelhecido;
  • “A faca e o pão envelhecidos” – a flexão do adjetivo para o plural maculino admite a ideia de que o pão e a faca estavam envelhecidos

É relevante lembrar que quando o sujeito possui substantivos femininos e masculinos, o adjetivo que os agrupa é, de preferência, masculino; e

  • “O pão e a faca envelhecida” – a inversão da ordem dos substantivos e a presença de um adjetivo feminino plural possibilita o significado de que a faca era o objeto envelhecido.

Também observe que, com a concordância nominal adjetiva, é possível alterar o sentido das frases e contribuir para a ênfase de uma mensagem específica. Veja o modelo abaixo:

  • “Nossa rede produz massa e vinho perfeito: a concordância se estabelece com o substantivo mais próximo, “vinho”, e o adjetivo fica no singular masculino – dessa forma a perfeição se reduz à bebida;
  • “Nossa rede produz vinho e massa perfeita”: a concordância se estabelece com o substantivo mais próximo, “massa”, e o adjetivo fica no singular feminino– nessa construção, a massa é enfatizada por sua perfeição; e
  • “Nossa rede produz massa e vinho perfeitos: a concordância se faz com os dois substantivos e o adjetivo é flexionado no plural masculino – com isso a perfeição agrupa as massas e os vinhos.

Substantiva

A aplicação da concordância nominal substantiva envolve a modificação dos substantivos para que se encaixam nos adjetivos. Geralmente, envolve dois adjetivos que se ligam a um só substantivo. Acompanhe os exemplos:

  • “Admitiu as medidas medicinal e sanitária” – com o substantivo e seu artigo flexionados no plural. Isso porque os termos “medicinal e sanitária” estão incluídos na construção “as medidas”;
  • “Admitiu a medida medicinal e a sanitária” – neste caso o artigo “a” deve aparecer antes dos dois adjetivos, de forma que ambos fiquem ligados ao termo “medida”.

Números ordinais

No caso da concordância com números ordinais, é importante perceber onde estão inseridos os substantivos.

  • Quando os substantivos estão antes dos números ordinais, o substantivo deve ser flexionado para o plural:
    As cartas terceira e quarta”
  • Quanto os substantivos estão depois dos números ordinais, a flexão aceita o singular e o plural, veja:
    “A terceira e a quarta carta” ou “A terceira e a quarta cartas”

Expressões

Quanto à concordância nominal com expressões, é importante destacar algumas. 

O termo “meio”, por exemplo, causa muitas confusões. A utilização dessa palavra deve seguir as regras:

  • Quando tem função de quantidade, como um adjetivo, deve ser flexionado em gênero e número – como em “Use meia colher de açúcar” em que a construção está no feminino singular.
  • Quando tem função de advérbio, “meio” é invariável “Ele estava meio cansado” ou “Maria estava meio doente”

A palavra “anexo” também carrega muitas dúvidas, a seguir, observe como usá-la corretamente:

  • Quando a palavra está na expressão em anexo” ela é invariável
    “Seguem em anexo as faturas”
  • Em outros casos, a palavra deve acompanhar o gênero e o número dos substantivos, como em “Seguem anexas as faturasou “Seguem anexos os boletos”

Diferença entre concordância nominal e verbal

Agora que você já teve contato com as principais formas de concordância nominal, é importante saber diferenciá-las das concordâncias verbais.

A concordância verbal se estabelece quando a modificação é feita no verbo para que fique coerente com os outros termos da oração.

Como em: “Elas passeia todo fim de semana”, que é uma construção incorreta. Para que a oração fique adequada sintática e semanticamente, a frase deve ser “Elas passeiam todo fim de semana”.

Gostou do conteúdo e quer melhorar sua compreensão e construção de textos? Então, acesse o blog do Estratégia Vestibulares e acompanhe nossos artigos!

Para conhecer nossos cursos preparatórios, clique no banner abaixo:

concordância nominal - Estratégia Vestibulares
0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também