A imigração de populações para o Brasil é algo que se intensificou no século XX. Em 18 de junho, comemorou-se os 113 anos da Imigração Japonesa ao Brasil, que, atualmente, abriga a maior colônia japonesa do mundo fora do Japão. 

No artigo a seguir, do Estratégia Vestibulares, veja como ocorreu essa imigração e as principais informações sobre o tema. Acompanhe!

imigração japonesa

Contexto da Imigração Japonesa 

A sociedade japonesa passou por intensas transformações no fim do século XIX – a Revolução Meiji. A nação deixava se estar completamente isolada das relações internacionais e começou a se abrir para o exterior.

Nesse sentido, o país afasta-se do campesinato manual e se aproxima das técnicas modernizadas de agricultura, o que culminou no desemprego de diversos cidadãos.

Ao mesmo tempo, houve uma modificação na cobrança de impostos: eles foram intensificados e não seriam mais pagos com materiais e colheitas mas deveriam ser entregues em dinheiro. Isso fez com que vários indivíduos perdessem terras ou passassem por condições de extrema pobreza.

Com isso, o governo japonês propôs políticas imigratórias para diminuir a população residente no país e aliviar as tensões e pressões sociais do período. Por isso, foi estabelecido um contrato com o Brasil, que influenciava a imigração de japoneses para o nosso território.

No Brasil, nessa época, a nossa sociedade estava se adaptando ao fim do escravismo agrícola – isso criou a necessidade de mão de obra rural e barata, situação que ia de encontro com os interesses japoneses. 

Qual é o dia da Imigranação Japonesa no Brasil? 

O dia em que o primeiro navio japonês desembarcou no Brasil foi 18 de junho de 1908, no Porto de Santos – no litoral do estado de São Paulo.

Chegada dos imigrantes japoneses ao Brasil República

Durante a República brasileira do século XX, muitas atitudes governamentais impulsionaram a imigração japonesa para o nosso território. Naquela ocasião, oficiais japoneses vieram até o Brasil analisar o país e estudar a possibilidade de imigração dos cidadãos para cá.

Com isso, criou-se uma política de atração, que convencia os asiáticos para trabalharem aqui por meio de ilusões econômicas e empregatícias. Os trabalhos eram iniciados com contratos assinados entre imigrante e patrão – o que abriu margem para posteriores abusos.

No decorrer dos anos os japoneses notaram que foram persuadidos e enganados, mas se livraram de seus contratos e tentaram estabelecer a vida em outras partes da nação brasileira. Esse processo foi difícil por questões de adaptações culturais, políticas e idiomáticas.

Comunidade japonesa na Segunda Guerra Mundial

Nas décadas seguintes, com a ascensão da Segunda Guerra Mundial, o Brasil se posicionou como rival da nação japonesa. Essa situação trouxe diversos prejuízos e represálias para a comunidade japonesa que aqui habitava: foram censurados os locais de comunhão, os símbolos e algumas transações comerciais nipônicas – o japonês foi pintado como um perigo para a sociedade brasileira. 

Atualmente, o cenário mudou e concentramos uma grande população nipo-brasileira, ou seja, que possui ascendência japonesa. É considerável lembrar que preconceitos sociais ainda persistem em nossa sociedade e devem ser combatidos, mas a aceitação dessa comunidade já é mais generalizada.

Importância e influência da Imigração Japonesa no Brasil

Os japoneses trouxeram muita cultura asiática para o nosso País, que nos foi deixado como herança e persiste até hoje em nossa sociedade.

Por exemplo, o chá de boldo, novidades do campo artístico, o sushi, o sashimi, o shoyu, o yakisoba, o judô, o karatê, o budismo, o xintoísmo, entre outros. 

É importante lembrar que o Bairro da Liberdade, na capital paulista, reúne muitas informações da cultura japonesa e são um marco para a comunidade nipo-brasileira. Vale a pena conhecer!

Exercícios

FUVEST

“As casinhas eram alugadas por mês e as tinas por dia; e tudo pago adiantado. O preço de cada tina, metendo a água, quinhentos réis; sabão à parte. As moradoras do cortiço tinham preferência e não pagavam nada para lavar. (…) E, mal vagava uma das casinhas, ou um quarto, um canto onde coubesse um colchão, surgia uma nuvem de pretendentes a disputá los. E aquilo se foi constituindo numa grande lavanderia, agitada e barulhenta, com as suas cercas de varas, as suas hortaliças verdejantes e os seus jardinzinhos de três e quatro palmos, que apareciam como manchas alegres por entre a negrura das limosas tinas transbordantes e o revérbero das claras barracas de algodão cru, armadas sobre os lustrosos bancos de lavar.”
Aluísio Azevedo, O cortiço.

Nas cidades brasileiras, particularmente no último quartel do século XIX, novas formas urbanas são constituídas, como os cortiços e as favelas. Sobre esse fenômeno, é correto afirmar:

(A) A expansão periférica no século XIX, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro, teve significativa presença de cortiços, devido à chegada massiva de imigrantes japoneses.
(B) A primeira favela carioca teve sua origem no forte empobrecimento da população no contexto da crise cafeeira na região serrana do Rio de Janeiro.
(C) A maior concentração dos cortiços da cidade de São Paulo, presentes no último quartel do século XIX, localizava-se na porção mais central da aglomeração urbana.
(D) As primeiras favelas brasileiras se originaram devido à expansão da atividade industrial, no centro da cidade de São Paulo, no início do último quartel do século XIX.
(E) Nas cidades do Vale do Paraíba, durante a expansão cafeeira, os cortiços eram muito frequentes, por conta da presença de imigrantes italianos empobrecidos.

A alternativa correta é a letra C, que versa sobre a concentração de cortiços na aglomeração urbana paulista do século XIX.
Ao mesmo tempo, as outras alternativas podem ser excluídas por não haver relação entre os cortiços e os imigrantes japoneses/italianos, além de que as primeiras favelas estavam relacionadas aos moldes escravistas da sociedade. 

Gosta de entender os conceitos históricos e as consequências deles? Acompanhe o Blog do Estratégia Vestibulares e mantenha-se atualizado sobre o assunto.

Para conhecer nossos cursos pré-vestibulares, clique no banner a seguir:

Imigração japonesa Estratégia Vestibulares
Você pode gostar também