A Teoria Neomalthusiana é uma das teorias demográficas inseridas no campo das ciências populacionais. A geografia humana, eixo que estuda as dinâmicas de populações, costuma cair bastante nas provas de vestibular, além de analisar situações presentes na atualidade. Por isso, não deixe de conferir este artigo que o Estratégia Vestibulares preparou para você!

O que é a teoria Neomalthusiana?

Para entender melhor a teoria Neomalthusiana, é importante saber sobre a teoria Malthusiana:

Thomas Malthus, economista inglês, percebeu que a população e a disponibilidade de recursos principalmente alimentares cresciam em uma desproporção. Para ele, a taxa demográfica aumentava em uma progressão geométrica, enquanto a oferta de alimentos crescia em uma progressão aritmética.

Assim, haveria um momento em que a comida seria insuficiente para a quantidade de pessoas no mundo, o que levaria a uma estagnação econômica, além de guerras e de epidemias. Portanto, seria necessário o controle da natalidade para evitar essa situação.

Já a teoria Neomalthusiana defendia que o aumento da população e o aumento da miséria estavam associados. De acordo com essa tese, quanto mais pessoas, maior seria a pobreza. Logo, continuaria sendo necessário o controle da natalidade, mas dessa vez, com o uso de métodos contraceptivos e de políticas antinatalistas.

O que é a teoria Neomalthusiana?

É importante lembrar que Thomas Malthus era religioso, portanto métodos anticoncepcionais — reprovados pela Igreja — não faziam parte da teoria Malthusiana, introduzidos apenas na sua reformulação — tese Neomalthusiana.

Teoria Malthusiana e Neomalthusiana

 A teoria Malthusiana defendia esse controle por meio de técnicas mais ideológicas como pregar a abstinência sexual e o casamento tardio. Já a teoria Neomalthusiana incentivava o uso de métodos contraceptivos e o controle do crescimento populacional com influência do Estado. 

Portanto, ambas as teorias afirmavam a necessidade de controlar a taxa de fecundidade como forma de progresso, sendo os meios de redução desse índice, a principal diferença entre elas.

O que defendiam os Neomalthusianos?

Os Neomalthusianos defendiam que quanto maior a população, mais intrínseca seria a pobreza, sendo necessário o controle da taxa de fecundidade, sobretudo em países considerados “subdesenvolvidos”.

Dessa forma, passaram a defender o uso de métodos contraceptivos para que as próprias famílias reduzissem o crescimento populacional, além das políticas antinatalistas, em que o Estado poderia interferir na taxa de fecundidade da nação.

Um bom exemplo de país que aderiu a políticas antinatalistas é a China, onde cada casal pode ter apenas um filho, o que foi chamado de “Política do filho único”. Essa medida foi tomada pelo governo nos anos 70.

Sendo assim, em síntese, os Neomalthusianos continuavam a defender a necessidade de reduzir o crescimento populacional, porém com o acréscimo das medidas contraceptivas e da intervenção estatal de controle da natalidade.

A Teoria Malthusiana foi considerada errada?

A teoria Malthusiana tornou-se base para muitas outras teorias, como a Neomalthusiana, a Reformista e a Ecomalthusiana, por exemplo. Assim, ela foi importante para introduzir os estudos sobre demografia.

Contudo, a grande crítica a essa teoria é que, segundo estudiosos da época, ela foi pensada em uma sociedade ainda rural. Sendo assim, o problema do descompasso entre crescimentos de pessoas e de alimentos foi “suavizado” com os avanços das Revoluções Industriais. 

Portanto, o grande “erro” foi não considerar a capacidade de crescimento da oferta de recursos

Gostou do conteúdo que o Estratégia Vestibulares preparou para você gabaritar a prova de geografia do seu vestibular? Então não perca nossos próximos artigos! Aproveite para conhecer os nossos cursos, que são pensados para que você alcance seu sonho de entrar na universidade. Clique no banner abaixo e confira!

Teoria Neomalthusiana - Estratégia Vestibulares
0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também