A conexão entre os diversos territórios mundiais é muito importante para a economia, a política e o desenvolvimento social desde os tempos remotos, como nas Grandes Navegações. Nesse sentido, a interligação física entre as localidades permite o intercâmbio de pessoas e produtos, como o Canal de Suez e o Canal do Panamá.

Por ser muito famoso nas questões geopolíticas, essa via marítima é muito recorrente nos enunciados e questões de provas. Diante disso, o Estratégia Vestibulares preparou um artigo com as principais informações sobre o Canal de Suez. Acompanhe!

O que é o Canal de Suez?

O canal de Suez é uma rota marítima artificial que se localiza entre o mar Mediterrâneo e o mar Vermelho, nas proximidades do Golfo de Suez.

Sua principal finalidade é comunicar a Ásia e a Europa. A rota oceânica é reduzida em milhares de quilômetros, pois se evita que os navios tenham de contornar a África na navegação asiático-europeia. 

Qual a origem?

Nos tempos antigos, os faraós já planejavam construções que pudessem conectar os dois mares. Mas foi só no século XIX que os egípcios conseguiram erguer uma via dessa magnitude e complexidade. Dessa forma, o Canal de Suez foi idealizado por estudiosos franceses – do qual deriva sua nomeação – em conjunto ao principal pensador do projeto: a Companhia Suez de Ferdinand de Lesseps.

A obra também foi financiada com verbas britânicas e comandada pelo Egito, sua completude demorou 10 anos.  A edificação utilizou milhares de operários, mas foi repleta de complicações, como uma epidemia do microrganismo cólera, que causou a morte de milhares de trabalhadores.

Por fim, em 17 de novembro de 1869, a obra foi inaugurada oficialmente, ou seja, 152 anos atrás. 

O Canal pertence a qual país? 

Depois de muitos trâmites geopolíticos e econômicos, o Egito detém a posse sobre a via marítima, de forma que empreendeu alterações em sua configuração. No ano de 2015 o país apresentou uma nova via para o Canal. De forma que ele ficou duplicado e agora admite dois sentidos de viagem. 

A novidade também promete multiplicar o número de embarcações que o atravessam diariamente. Além disso, essa última construção permite a passagem de navios mais largos, o que se adapta às inovações tecnológicas e a quantidade de carga necessária para a atualidade.

Quais as principais Características do Canal de Suez?

O Canal de Suez é uma grande via marítima que não possui eclusas, destacando-o perante as outras rotas navegantes. Isso se dá pela extensão mais plana do terreno, bem como o nível semelhante entre os mares Mediterrâneo e Vermelho. 

Suas dimensões atingem centenas de quilômetros, 24 metros de profundidade e cerca de 200 metros de largura. 
A passagem por ele leva, em média, de 12 a 18 horas e só é permitida para comboios com 15 navios, no máximo.

Calcula-se que, por dia, 50 navios atravessam o canal – cerca de 30% da navegação mundial por contêineres.

Qual a importância do Canal de Suez?

Como citado anteriormente, o canal de Suez permite a união entre as terras orientais e ocidentais, sem a necessidade de contornar o Cabo da Boa Esperança, no sul da África. 

Dada sua importância intercontinental, em termos econômicos, ele é responsável por 8% a 11% das negociações comerciais que ocorrem no mundo todo. Ademais, essa via proporciona o contato europeu com os outros continentes, o que favorece as relações sociopolíticas.

Em termos turísticos, a trajetória admite, também, a navegação de cruzeiros que atrai muitos admiradores da engenharia e arquitetura.

Bloqueios no Canal de Suez

Em contextos diversos, o Canal de Suez já sofreu bloqueios propositais ou acidentais.

Durante a Guerra dos Seis Dias, no mundo árabe, o Canal ficou fechado por oito anos – de 1967 a 1975. Na reabertura foi necessário o posicionamento da ONU e a retirada das fortificações israelenses – sob o comando do presidente egípcio Anwar Sadat.

Já em março de 2021, o navio de uma empresa chamada Evergreen encalhou em meio a travessia do Canal e bloqueou-a por 6 dias em ambos os sentidos. Isso causou uma fila com, aproximadamente, três centenas de embarcações – com prejuízos monetários na casa dos 300 bilhões de reais.

Para a liberação da passagem, foi necessário que a maré aumentasse consideravelmente, o que facilitou o fluxo hídrico e a retirada do navio. 
As causas do encalhamento foram consideradas diversas, como defeitos técnicos, humanos e até mesmo a direção da circulação atmosférica.

Agora você já conhece a localização, importância e história do Canal de Suez, o que facilita a contextualização do assunto durante as provas,  acesse também  o Blog do Estratégia Vestibulares e acompanhe nossos conteúdos e resumos geográficos!

Saiba mais sobre nossos cursos pré-vestibulares, clique no banner abaixo!

Canal de Suez - Estratégia Vestibulares
0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também