Uma forma de fortalecimento das nações, é a interação entre elas, que permite maior conexão, proteção e desenvolvimento em diversos âmbitos da realidade de cada país. Os blocos econômicos são os principais exemplos de acordo, interação e influência entre territórios. 

Esse assunto, por ser muito importante na geopolítica mundial, aparece com frequência em provas como Fuvest, Enem, Unicamp, e outras. Para te ajudar a entender melhor o que são blocos econômicos, os tipos e os principais exemplos, o Estratégia Vestibulares preparou um artigo com essas informações. Confira a seguir!

O que são os blocos econômicos?

Os blocos econômicos são associações entre duas ou mais nações com objetivo de interagir os interesses econômicos, de forma que permite uma expansão dos índices empregatícios, comerciais, industriais e tecnológicos, melhorias no poder de compra, valorização da moeda, atratividade de empresas, entre outros benefícios. 

As conexões entre os países ficaram muito conhecidas após a Guerra Fria, quando a criação de uma nova ordem mundial possibilitou uma globalização da economia. Para garantirem a sobrevivência e progresso, muitas nações estabeleceram acordos e alianças — processo que culminou na formação dos blocos econômicos.

Essa ideia de progresso surgiu porque, em geral, as taxações são menores entre os países associados, a circulação de mercadorias é maior e o intercâmbio de informações e pessoas é facilitado. Com isso, os países-membros se tornam interdependentes entre si, de forma que também se afastam e protegem da constante oscilação típica do capitalismo global.

Tipos de Blocos econômicos

O acordo e pactuação entre as nações abrange diferentes níveis de integração econômica, política, social e cultural entre os países. Dessa forma, surgem os tipos de blocos econômicos, que são divididos conforme a força da interação com ou outros países. Compreenda melhor com as informações abaixo:

Zona de Livre Comércio

Nesse tipo de acordo, os países-membros diminuem as tarifas e barreiras de alfândega entre si, assim, a circulação de produtos é facilitada entre eles. Já com os países não associados, as taxações se mantêm as mesmas, o que cria um mercado restrito voltado para o bloco econômico.

O principal exemplo de zona de livre comércio é o Acordo Norte-Americano de Livre Comércio, popularmente conhecido como NAFTA. Como o nome sugere, ele integra os países da América do Norte: Canadá, Estados Unidos e México

Perceba que a abrangência desse tipo de bloco é pequena e restrita às questões monetárias e lucrativas, por isso, representa o modelo mais simples de interação.

União Aduaneira

A união aduaneira, por sua vez, se mostra “um passo à frente” da zona de livre comércio. Nesse tipo de bloco econômico, além das diminuições de taxa presentes no modelo anterior, cria-se uma tarifa externa comum ou TEC. 

A TEC representa uma taxa única para todos os países não membros. Ou seja, se os países A, B e C estão em uma união aduaneira, todos os países que comercializam com eles recebem uma mesma taxa alfandegária. 

Com essa associação, as mercadorias que não foram produzidas por membros são encarecidas, o que favorece o desenvolvimento de todos os países de maneira mais equilibrada. 

Um importante exemplo é o Mercado Comum do Sul (Mercosul), que conecta Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. A Venezuela fazia parte do grupo mas foi suspensa após enfrentar crises políticas, econômicas e sociais em seu território, com questões que descumpriam tratados assinados pelo grupo. 

Mercado Comum

O mercado comum, por sua vez, utiliza os conceitos da união aduaneira, os da zona de livre comércio e acrescenta a livre circulação de pessoas, mercadorias e informações. Nesse caso, algumas leis são alteradas para que a uniformização entre os países membros seja mais eficaz.

Apesar de ser, essencialmente, uma união aduaneira, o Mercosul também representa um mercado comum, uma vez que a livre circulação de pessoas e mercadorias é uma realidade presente nessa parte da América do Sul.

União Econômica e Monetária

A associação mais forte e integrativa entre as nações é a união econômica e monetária. Nesse caso, todas as características descritas acima são inseridas, existe uma moeda comum para todos os países-membros e, além disso, cria-se um banco central próprio para o bloco econômico.

O único modelo conhecido desse tipo é a União Europeia (UE) que congrega 27 países-membros, dos quais nem todos usam o Euro como moeda. Apesar disso, eles desempenham um papel econômico muito intenso, com um PIB altíssimo e representativo para o capitalismo mundial. 

No ano de 2020, a UE passou por um processo de repercussão internacional. Depois de 47 anos participando do bloco, o Reino Unido deixou o acordo. Essa decisão teve amplas influências políticas e econômicas externas e internas. Popularmente, esse movimento ficou conhecido como Brexit, que surgiu da abreviação inglesa de British Exit, de significado igual à saída britânica.

Vantagens e Desvantagens dos blocos econômicos

Embora sejam relativamente benéficos para grande parte das nações envolvidas, como já foi citado anteriormente, existem vantagens e desvantagens nos blocos econômicos. Veja:

Vantagens

  • Ampla troca econômica;
  • Fortalecimento do mercado;
  • Troca de informações, tecnologia e desenvolvimento;
  • Instalação de empresas em outros países, ou seja, mais multinacionais no território;
  • Circulação de pessoas;
  • Lucratividade, entre outras.

Desvantagens

  • Economias mais fracas possuem menor força de imposição e podem sofrer exploração por parte de países mais ricos — cria-se uma interação de dependência;
  • Quando um bloco só cria relações entre os países membros, ocorre um protecionismo econômico, o que afeta o comércio internacional;
  • O preconceito e discriminação podem aparecer quando a circulação de pessoas se intensifica, além de outros pontos que podem ser notados. 

Questão de Blocos Econômicos

Agora que você já conhece os principais blocos econômicos e como eles interagem, chegou a hora de treinar seu entendimento do conteúdo com a questão de vestibular descrita abaixo.

Ao final, veja a resolução proposta pelo Estratégia e compare com a resposta que você descreveu — esse processo é muito importante para você conhecer suas habilidade e os assuntos que precisa aprimorar, não deixe de fazer!

UFPI 2008

Identifique a sequência correta de países pertencentes respectivamente aos blocos econômicos: Nafta, União Européia e Mercosul.

a) El Salvador, Guatemala e México.
b) México, França e Argentina.
c) Brasil, Paraguai e Argentina.
d) Brasil, Suécia e Alemanha.
e) México, Alemanha e El Salvador.

Veja uma relação dos países pertencentes a cada bloco citado:

NAFTA: Canadá, Estados Unidos e México

União Europeia:Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia, Suécia.

Mercosul: Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai

Dessa forma, a única alternativa que verdadeira é a letra B.

Assista uma aula grátis de Blocos Econômicos

Para entender ainda mais sobre geografia e blocos econômicos, assista ao vídeo a seguir, é gratuito e muito didático. Vale a pena conferir!

Após ter contato com o conceito de blocos econômicos, é relevante compreender os desdobramentos deles para a geopolítica. Para isso,  conheça os nossos cursos pré-vestibulares, assista a aulas de qualidade e conquiste sua aprovação. Clique no banner abaixo!

Estratégia Vestibulares - Blocos Econômicos
Você pode gostar também