A filosofia grega é a base para o conhecimento ocidental. Por isso, é muito importante compreender o nascimento e desenvolvimento da filosofia na Grécia. Um nome relevante para a origem filosófica, é o de Parmênides, já que com suas teorias ele influenciou os ideais de razão até a atualidade.

Diante disso, o Estratégia Vestibulares construiu um artigo completo sobre os principais aspectos da biografia e do conhecimento desse filósofo grego. Acompanhe!

Biografia

Parmênides é um filósofo grego nascido por volta de 500 a.C na colônia de Eléia, uma região próxima à atual Itália. Ele conseguiu sua formação intelectual por nascer em uma família rica e prestigiada. 

O pensador esteve presente na Escola Eleata, onde aprendeu os princípios da teoria de Xenófanes. Essa corrente filosófica acreditava em uma unidade lógica como a base da criação e sustentação do universo. Foi então que Parmênides formulou seus ideais cosmológicos e ontológicos.

Vale lembrar que Ontologia é o estudo dos seres quanto à sua natureza, origem, existência e realidade.

Pensamento de Parmênides

O ideal de Parmênides foi escrito, em sua maior parte, em forma poética e continha um raciocínio abstrato – o que era surpreendente para uma época repleta de racionalismo concreto.

Sua lógica compreende uma origem única, eterna, indivisível e imutável para os seres. Ele acreditava que uma essência não pode mudar e, por essa ideia, foi considerado o fundador do imobilismo ontológico. 

Segundo Parmênides, o ser primitivo que originou todas as coisas era visto como um “deus”, que não nasceu mas simplesmente existe, sem depender de algo ou alguém – ou seja, é eterno e único. Essas ideias se contrapunham aos valores politeístas da cultura grega.

O ser, para ele, é tudo aquilo que a mente humana pode compreender, é como se tudo fosse assinado e demarcado por algo maior e imutável. Essa essência de todas as coisas aponta o ser.

Além disso, aquilo que não pode ser alcançado pelo entendimento é irreal, falso ou enganoso Portanto, as coisas acessadas apenas por meio dos sentidos são agrupadas como um “não-ser”. 

O filósofo resume sua teoria com a frase “O ser é e o não ser não é”, conferindo realidade a algumas coisas e ilusão às outras. Esses princípios fundamentam a Teoria das Ideias, que Platão explicou por meio da Alegoria da Caverna.

Oposição entre Heráclito e Parmênides

Outro filósofo pré-socrático muito importante para a ontologia foi Heráclito de Éfeso, da escola jônica. Em sua teoria, o estudioso propôs a mutabilidade de todas as coisas. Sua frase mais importante é “Não podemos banhar-nos duas vezes no mesmo rio porque as águas renovam-se a cada instante”. 

Sua declaração indica uma propensão a não acreditar na fixação das coisas, mas na dinamicidade entre os seres, suas experiências e suas essências. Nesse cenário, o pensador também propôs um eterno duelo entre pares opostos, que conferiam sentido à vida. 

Por exemplo, para Heráclito, a luz seria o contrário do escuro – ou seja, são complementares e cruciais. Posteriormente, seus escritos inspiraram a razão aristotélica.

Como é notável, Parmênides e Heráclito propuseram teorias diretamente opostas, que formam o maior dilema da filosofia grega antiga. Esse embate perpetuou-se, em seguida, entre as ideias de Platão e Aristóteles, influenciadores de toda a cultura ocidental.

Parmênides no Vestibular

Agora que você já conhece as principais informações sobre Parmênides, leia a questão abaixo e tente respondê-la. Em seguida, confira a resolução das alternativas. Assim, você fixa o conteúdo e pode arrasar nos vestibulares!

(UFU 2013) De um modo geral, o conceito de physis no mundo pré-socrático expressa um princípio de movimento por meio do qual tudo o que existe é gerado e se corrompe. A doutrina de Parmênides, no entanto, tal como relatada pela tradição, aboliu esse princípio e provocou, consequentemente, um sério conflito no debate filosófico posterior, em relação ao modo como conceber o ser.

Para Parmênides e seus discípulos:

a) A imobilidade é o princípio do não-ser, na medida em que o movimento está em tudo o que existe.
b) O movimento é princípio de mudança e a pressuposição de um não-ser.
c) Um Ser que jamais muda não existe e, portanto, é fruto de imaginação especulativa.
d) O Ser existe como gerador do mundo físico, por isso a realidade empírica é puro ser, ainda que em movimento.

Parmênides acreditava em princípios fixos para as coisas e considerava a mutabilidade como algo não existente. Para ele, a mudança estava contida no “domínio do não-ser”. A resposta correta está descrita na alternativa B.

Gostou do conteúdo filosófico? Acesse outros assuntos e temas da filosofia antiga e moderna no Blog do Estratégia Vestibulares. 

Conheça também nossos cursos preparatórios para o vestibular, clique no banner abaixo!

Parmênides - Estratégia Vestibulares

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar também
Caverna de platao
Leia mais

Caverna de Platão: o que é?

A filosofia antiga inovou em conhecimento, pois buscou explicar o mundo com mais racionalidade. Nesse sentido, Platão formulou…