Passar no vestibular se torna cada ano mais difícil. Existem muitas pessoas que estão tentando há anos passar nos cursos mais concorridos do país, como Medicina e Direito na USP, mas ainda não descobriram como fazê-lo.

Ao contrário do que muitos pensam, não existe aquela ideia de “talento natural”: se o estudo for adequado, qualquer pessoa consegue garantir uma vaga. Portanto, se este tipo de pensamento estiver lhe atormentando, deixe-o de lado e foque em seus estudos.

Existem diversos vestibulares por todo o Brasil, mas os de maior destaque são os da USP, UNICAMP e UNESP. Há também o ENEM, mas este não é equiparável, ao nível de dificuldade, com os citados anteriormente.

Tenha em mente que o cronograma varia em cada caso. Portanto, não existe uma regra universal para montá-lo.

Uma dica excelente para se dar bem nos vestibulares é usar suplementos de Ômega 3, o qual ajuda bastante no processo de aprendizagem.

Posto isto, vamos às dicas de como montar um cronograma de estudos!

Organize todo o conteúdo que vai cair no vestibular

O primeiro passo para iniciar os estudos é organizar todo o conteúdo que vai cair no vestibular. Alguns pensadores modernos acreditam que  todo o conhecimento da humanidade está acessível e, por isso, a organização é fundamental para a retenção de conhecimento.

Portanto, procure fazer uma lista dos conteúdos que caem na prova, indo no sentido de “capilarização”, por exemplo: ciências exatas -> matemática -> geometria analítica.

Ao fazer isso, você descobrirá duas coisas importantíssimas: a vastidão das matérias e o seu grau de conhecimento sobre elas. Para isso, procure refletir até que ponto você domina cada tópico de cada área. Essas informações serão muito importantes para as próximas etapas.

Se possível, de notas para cada assunto, indo de zero a dez, de acordo com seu grau de conhecimento sobre o tema.

Estabeleça a prioridade de estudo

Se você fez o trabalho do tópico anterior, estará olhando para um ranking, com base no seu conhecimento sobre os assuntos que vão cair no vestibular. Sendo assim, a prioridade já está determinada, com exceção de um detalhe: a integralidade do conhecimento.

Vamos supor que você tenha problemas com geometria analítica. Não é recomendado seguir direto a esse tópico, já que na maioria dos casos, há “buracos” em seu conhecimento. Portanto, fazer uma breve revisão dos tópicos básicos de matemática é muito relevante.

Vale notar que ao considerar cursos extremamente concorridos, não há margem para dúvidas e erros bobos durante a prova. Então, ainda que seja fácil realizar exercícios de soma e subtração, por exemplo, procure resolvê-los semanalmente. 

Estude para o vestibular de maneira lógica

O ideal é que todo o conteúdo do vestibular esteja fresco em sua mente na data da prova. No entanto, é pouco provável que isso aconteça, principalmente se você tentar decorar tanta informação de uma só vez.

Então, você terá que aplicar o mesmo método que faz com que especialistas alcancem este título: se interessar pelo assunto e estudar de forma lógica.

Afinal, o que isso significa? Em poucas palavras, significa estabelecer laços entre ideias dentro de uma mesma área de conhecimento, facilitando sua assimilação e recordação posterior.

Para fazer isso, deixe de lado qualquer ideia de decorar que ainda lhe resta e faça um estudo “completo” de cada tópico, como se você fosse um dos primeiros a descobrir essas informações.

Comece pela parte histórica do material, depois vá para seus fundamentos e, aos poucos, adentre nos conceitos mais abstratos e complexos. Aproveite a enorme disponibilidade de informação que temos na internet.

Separe pelo menos 4 horas diárias para revisar e dominar as matérias que você acredita que domina. Feito isso, mantenha o foco para destrinchar o conteúdo e procure atingir um dos temas que você não sabe muito. É esperada uma semana para assimilar cada tópico.

Atente-se a métodos de memorização

Em alguns casos, a memorização é inevitável, mas ela também pode ser feita sem muitos problemas. Para conseguir esse feito, primeiro deixe de lado a ideia de repetição do conteúdo que, embora funcione, é pouco eficiente.

A melhor maneira de memorizar algo é usar a associação de conceitos e ideias. As figuras mentais são excelentes para isso e seu uso é largamente incentivado.

Além disso, sociedades orais dão uma lição impressionante no que tange à memorização: criar conteúdo em historinhas é um jeito divertido de assimilar toneladas de informações.

Cuidado: a memorização deve ser usada para guardar detalhes sobre o conteúdo, não o material, letra a letra.

É importante revisar suas historinhas ou flashcards periodicamente. Monte-os durante a semana e revise-os aos finais de semana. Após isso, faça revisões 1 mês, 3 meses e 6 meses após sua criação. Por fim, revise mais uma vez cerca de 2 meses antes da prova. 

Considerações finais

Como ficou claro, você precisa se dedicar diariamente, de maneira consistente, para conseguir conquistar uma vaga nas melhores faculdades do Brasil. Para isso, o ideal é começar a estudar cerca de 1 ano antes da data da prova e, cerca de 2 meses antes do exame, revisar e refazer exercícios.

No mais, fica por sua conta estabelecer os horários e os períodos de estudo diário. Lembre-se que nem sempre longos períodos de estudo significam qualidade.

Boa sorte!

Banner Estratégia Vestibulares
0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar também