Os seres vivos são formados por células compostas por organelas e componentes que propiciam o metabolismo orgânico. As células eucariontes, por exemplo, possuem a membrana celular e o glicocálice, que auxiliam na organização e na proteção intracelular.

Pensando na importância do assunto e na possibilidade dele estar presente no seu vestibular, o Estratégia Vestibulares lhe apresenta as principais funções do glicocálix. Acompanhe este artigo e descubra! 

O que é Glicocálice?

A membrana celular é um envoltório formado por dupla camada de fosfolipídios que delimita e comunica os meios interno e externo da célula. O glicocálice é um elemento dessa película e, nesse ambiente, atua em funções diversas.

Composição do Glicocálice 

A nomenclatura “glicocálix” ou “glicocálice” refere-se tanto as glicoproteínas, formadas por proteínas e carboidratos, como os glicolipídios, constituídos de lipídios e carboidratos.

Esses compostos são originados no complexo de Golgi e se localizam externamente à membrana plasmática.

Funções do Glicocálix

As glicoproteínas e os glicolipídios são essenciais para o bom desempenho de uma célula. Acompanhe a seguir algumas funções atribuídas a esses compostos:

  • Facilitam o transporte de substâncias nos processos de difusão;
  • Favorecem a identidade e reconhecimento celular, o que é muito importante nos transplantes, uma vez que a similaridade entre os glicocálices favorece o procedimento;
  • Durante a organogênese — fase do processo de embriogênese —, os glicocálices permitem a união de células com a mesma utilidade, ou seja, regulam a diferenciação celular e a formação dos tecidos;
  • São os componentes das hemácias que as distinguem conforme o sistema ABO, o que implica na sua importância quanto à transfusão sanguínea ou transplantes de órgãos;
  • Promovem a viscosidade e favorecem o deslocamento celular;
  • Favorecem a união entre gametas femininos (óvulos) e os masculinos (espermatozoides);
  • Contribuem para um ambiente propício para a célula, assim regulam aspectos físicos e químicos para manter o equilíbrio celular;
  • São responsáveis pela coesão e adesão celular; e
  • Comunicação intercelular, por exemplo, a atuação dos hormônios utiliza os glicocálices como mediadores.

Glicocálice: como cai nos vestibulares

Para fixar o conteúdo, é importante praticar por meio de questões e resoluções. Confira abaixo duas questões de vestibular sobre glicocálice e suas respostas comentadas!

(PUC-MG 2003) A membrana plasmática apresenta, em sua superfície, moléculas especiais que permitem à célula detectar outras substâncias presentes no meio externo, dando a ela certa sensibilidade química. Essas moléculas fazem parte:

A) da cutícula.
B) do glicocálix.
C) dos desmossomos.
D) dos cílios.

A sensibilidade química é função do glicocálice. De forma que a alternativa correta é a letra B.

(UERJ 2017) Os diferentes tipos de transplantes representam um grande avanço da medicina. Entretanto, a compatibilidade entre doador e receptor nem sempre ocorre, resultando em rejeição do órgão transplantado.

O componente da membrana plasmática envolvido no processo de rejeição é:

A)colesterol
B)fosfolipídio
C)citoesqueleto
D)glicoproteína

Quando ocorrem transplantes, as glicoproteínas são responsáveis pela identidade e pelo reconhecimento celular. Assim, caso o glicocálice não seja compatível, ocorre rejeição. Isso indica que a alternativa correta é a letra D.

Gostou do conteúdo? Para conhecer outros temas da biologia celular e alcançar um bom desempenho nos vestibulares ,continue acessando o Blog do Estratégia Vestibulares. 

Clique no banner abaixo e descubra nossos cursos pré-vestibular.

glicocálice Estratégia Vestibulares

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode gostar também