Você sabia que a Guerra de Secessão completa 160 anos em 2021? O conflito foi um grande marco na história dos EUA e na luta pela abolição da escravidão – e costuma cair com frequência no vestibular. Quer saber mais? Então acompanhe este artigo que o Estratégia Vestibulares preparou para você! 

O que foi a Guerra de Secessão?

Também chamada de Guerra Civil Americana, a Guerra de Secessão foi um confronto armado entre os estados do Norte contra os estados do Sul dos Estados Unidos, ocorrido entre os anos de 1861 e 1865. O conflito teve início após os estados do Sul – Carolina do Sul, Alabama, Flórida, Mississipi, Geórgia, Texas e Luisiana – se separarem da União para formar os Estados Confederados da América. 

Antecedentes da Guerra de Secessão

A Guerra de Secessão teve uma série de motivações, entre elas: divergências quanto ao modelo econômico, divergências políticas e a questão abolicionista. No entanto, por que o Norte e o Sul sustentavam posicionamentos tão diferentes? Para entender esse ponto, é necessário voltar para a fundação dos Estados Unidos. 

Colonização do Sul e do Norte

Originalmente, o território dos EUA foi colonizado pelos ingleses que fundaram as chamadas Treze Colônias. Desde que foram fundadas, as comunidades do Norte e do Sul já apresentavam diferenças intrínsecas: 

  • As colônias do Sul tinham um clima mais ameno e, por isso, adotaram o modelo econômico conhecido como plantation. Formado por uma elite latifundiária e escravista; e
  • As colônias do Norte tinham um clima mais frio que não permitia o desenvolvimento de uma economia exclusivamente agropecuária. Por conta disso, essas colônias eram formadas por agriculturas familiares de subsistência, por pescas e manufaturas. Predominava o trabalho livre e assalariado

O desenvolvimento industrial e urbano se deu principalmente nas colônias do Norte, que ganharam mais relevância e poder econômico com o tempo. Essas diferenças nos modelos econômicos e políticos permaneceram e se aprofundaram depois que as Treze Colônias declararam independência da Inglaterra para formar uma república federalista. 

Expansão para o Oeste

Depois da Independência e do nascimento dos EUA como um país, começou a Marcha para o Oeste, no início do século XIX. A conquista de novos territórios ocorreu tanto por guerras, quanto pela compra de outras potências colonizadoras, como a França e a Espanha. Foi nessa época também que os norte-americanos expulsaram e massacraram os povos nativos da região. 

A expansão trouxe à tona um dilema: qual modelo econômico seria implementado nos novos territórios? Foi a intensa divergência entre o Norte e o Sul nessa questão que colocou em andamento o processo que culminou na Guerra de Secessão. 

Causas da Guerra de Secessão 

Diante desse cenário, podemos identificar duas causas principais para o estopim da Guerra de Secessão: a questão escravista e a eleição do republicano Abraham Lincoln. Confira com detalhes abaixo!

Questão abolicionista 

A principal divergência entre os estados do Norte e do Sul era a adoção, ou não, da mão-de-obra escrava nos novos territórios conquistados. Os estados do Norte, a favor do trabalho livre e assalariado, defendiam a proibição da escravidão e medidas econômicas protecionistas. 

As tensões aumentaram especialmente após a conquista de Kansas e Nebraska, a ponto de ocorrer pequenos enfrentamentos de milícias em certas localidades do estado de Kansas. Além disso, fugas de escravos do Sul com a ajuda de colaboradores abolicionistas eram cada vez mais comuns. 

Uma curiosidade é que o termo “underground railroad” foi usado para se referir à rota secreta, que unia diversos tipos de transporte e esconderijos, utilizada pelos escravos em sua fuga para os estados do Norte.

Eleição de Abraham Lincoln 

A gota d’água para os sulistas foi durante as eleições dos EUA de 1860, quando o republicano Abraham Lincoln venceu contra o democrata Stephen Douglas. O novo presidente era conhecido por defender que a dignidade do homem vinha do trabalho livre e, por isso, era considerado um abolicionista radical pelos escravocratas

No entanto, Lincoln manteve a escravidão nos estados do Sul e também era a favor de ideias sobre a “superioridade natural” do homem branco. Por conta disso, era considerado conservador pelos nortistas. Vale ressaltar que, diante do clima de insatisfação, Lincoln já tinha deixado claro que não toleraria separatismo de nenhum estado norte-americano. 

O aviso não impediu que os estados do Sul se rebelassem e formassem os Estados Confederados da América. Dessa forma, a Guerra de Secessão foi deflagrada quando Abraham Lincoln considerou o ato inconstitucional e enviou os soldados da União para reprimir a rebelião. 

guerra de secessão
Estátua de Abraham Lincoln em seu memorial nos EUA, em Washington D.C.

Características e etapas da Guerra de Secessão 

A Guerra de Secessão teve seu primeiro enfrentamento de nortistas e sulistas em 12 de abril de 1861, quando os confederados atacaram Fort Sumter, uma fortaleza da União na Carolina do Sul. 

A partir daí, ambos os lados se enfrentaram várias vezes, com alto índice de mortalidade. Uma das características principais da Guerra de Secessão era o uso de trincheiras nas batalhas, além de vários embates em campo aberto

O Exército dos estados da União, no Norte, eram comandados pelo general Ulisses Grant, tinha mais recursos e maior contingente, além de força naval superior. Já os confederados contavam com um experiente general, Robert E. Lee. As duas batalhas mais conhecidas foram as de Gettysburg e Petersburg, por conta do alto número de mortos. 

Derrota Sulista 

Falta de apoio internacional, menor contingente e infraestrutura mais precária, foram alguns dos motivos que levaram à derrota dos confederados. Além disso, o Norte impôs um pesado bloqueio marítimo que impediu o abastecimento dos exércitos do Sul. O número de desertores apenas aumentou, junto com intensa fuga de escravos. 

Por fim, os generais do exército do Sul se renderam em 1865. O presidente Abraham Lincoln acabou assassinado no mesmo ano, por um sulista inconformado com a derrota dos confederados. 

Consequências da Guerra de Secessão

Além de um saldo de mais de 600 mil mortos, a Guerra de Secessão trouxe várias consequências econômicas e sociais para os EUA, entre elas: 

  • Abolição da Escravatura: apesar de, no início, Lincoln não ser a favor de uma emancipação geral, no decorrer do conflito percebeu que a causa lhe daria maior prestígio político internacionalmente. Em 1863, foi decretada a emancipação de todos os escravos negros dos EUA; e
  • Vitória do modelo econômico industrial: com a derrota dos confederados, os estados do Sul enfrentaram uma severa recessão, porém o Norte consolidou ainda mais sua economia e expandiu a produção industrial – assim como linhas de trens e telégrafos – para todo o território. 

Vale ressaltar que, apesar da abolição da escravatura, a discriminação racial e episódios de repressão contra a população negra nos EUA estavam longe de acabar. Políticas segregacionistas e grupos repressores como a Ku Klux Klan se fortaleceram grandemente nos anos que se seguiram – especialmente nos estados do sul. 

Guerra de Secessão no Vestibular

A Guerra de Secessão é um tema comum no vestibular, especialmente com relação à história dos EUA. Então não deixe de dar atenção a esse conteúdo em seus estudos! Para você treinar, separamos um exemplo de questão que pode cair na sua prova. Confira! 

(FATEC, 2008) A Guerra de Secessão, também chamada de Guerra Civil Americana, teve início no ano de 1861. Nesse momento, o Sul dos Estados Unidos proclama a sua separação e passa a se chamar ECA (Estados Confederados da América). Entre os motivos que causaram o início dessa guerra podemos citar:

A –  as tentativas por parte do Sul em modificar sua economia agrária ligada ao mercado europeu por um modelo econômico industrial
B –  a conquista do oeste cujas terras além do Texas o Norte esperava poder aproveitar para expandir a lavoura de algodão e outras plantações, usando da mão-de-obra escrava
C –  a vitória do presidente Abraham Lincoln, que foi interpretada pelo Sul como a sentença de morte que colocaria em xeque o sistema escravista
D –  a pretensão por parte dos fazendeiros do Sul em fundar um banco nacional com direitos exclusivos de emitir dinheiro, e um dinheiro “forte” para o pagamento de suas dívidas
E –  a tarifa sobre importações, pois o Sul queria que este imposto fosse elevado o bastante para oferecer alguma proteção contra a concorrência de manufaturas importadas.

Resposta correta: letra C

Gostou do conteúdo que o Estratégia Vestibulares preparou para você? Então confira mais assuntos de Atualidades e conheça os nossos cursos preparatórios para o vestibular! Clique no banner e fique mais próximo da sua aprovação!

banco de questões estratégia vestibulares
Você pode gostar também
Revolução Mexicana: tudo sobre!
Leia mais

Revolução Mexicana: tudo sobre!

No século XX, a América Latina sofreu mudanças significativas em sua estrutura. Dentro de vários países do continente…