No caderno de Linguagens e códigos do Enem, o tema das artes modernas é muito recorrente por representar uma mudança do cenário artístico brasileiro. Por isso, conhecer as nuances que envolvem o antes e depois da Semana de Arte Moderna de 1922 pode impulsionar sua nota nos vestibulares!

No artigo a seguir, o Estratégia Vestibulares preparou um resumo com as principais informações deste evento marcante do Brasil.

O que foi a Semana de Arte Moderna?

A semana de arte moderna foi um evento artístico revolucionário que ocorreu em fevereiro de 1922. O público convidado era composto pela elite paulista, entretanto os espetáculos assustaram seus espectadores por apresentarem um conteúdo não academicista, com artes originais brasileiras e em total contraposição ao parnasianismo – movimento artístico que buscava a perfeição formal da arte.

Quais são as características da Semana de Arte Moderna?

A Semana de Arte Moderna de 1922 é caracterizada por romper com a arte tradicional e formal europeia. Nesse sentido, se apresentava com características marcantes, como as listadas abaixo:

  • Questionamento do tradicionalismo greco-romano;
  • Rompimento com a estética formal;
  • Valorização da arte brasileira e original;
  • Formação de uma identidade nacional;
  • Identidade nacional;
  • Influência vanguardista, como o futurismo;
  • Ousadia e inovação;
  • Releitura da colonização brasileira;
  • Literatura objetiva e clara;
  • Linguagem mais informal, oral e coloquial; e
  • Radicalismo da ruptura estética.

Quais foram os principais nomes da Semana de 22?

A Semana de Arte Moderna de 1922 atingiu diversas áreas e vertentes da arte. 

Por exemplo, na literatura demonstrou um rompimento com poemas metrificados, com rimas ricas e palavras complexas. Nesse contexto, os principais escritores foram Mario de Andrade, Oswald de Andrade, Manuel Bandeira, Graça Aranha entre outros.

Confira um poema-piada composto por Oswald de Andrade – esse poema é a representação das críticas modernistas de 1922:

FIM E COMEÇO

A noite caiu sem licença da Câmara
Se a noite não caísse
Que seria dos lampiões?

No campo estético, os principais nomes são Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Cândido Portinari e seus companheiros. Anitta, com suas obras revolucionárias, foi muito criticada por Monteiro Lobato e outros artistas formais da época. 

Além disso, o músico Heitor Villa-Lobos participou da Semana de Arte moderna, com a apresentação de músicas não tradicionais e pouco recorrentes pois abordavam temáticas não “aceitas” – como na obra “Danças Africanas”

Os modernistas da Semana de 1922 foram considerados como “subversores da arte” e participantes de uma “escola rebelde” – ou seja, a proposta não foi bem aceita. 

Consequências da Semana de Arte Moderna

O acontecimento da semana de arte moderna foi crucial para a ascensão das diversas facetas da arte no Brasil. Assim, muitos artistas ganharam renome mesmo sem seguir os moldes tradicionais empregados pela Europa.

Músicos, pintores, escultores, poetas, literatos, se envolveram no modernismo e deram início ao modernismo brasileiro – que constitui o período de maior florescimento do nacionalismo artístico. No modernismo, ocorreu o florescimento da identidade, política, engajamento social e histórico necessários para o desenvolvimento de uma cultura brasileira.

Exercícios

ENEM 2010

Após estudar na Europa, Anita Malfatti retornou ao Brasil com uma mostra que abalou a cultura nacional do início do século XX. Elogiada por seus mestres na Europa, Anita se considerava pronta para mostrar seu trabalho no Brasil, mas enfrentou as duras críticas de Monteiro Lobato. Com a intenção de criar uma arte que valorizasse a cultura brasileira, Anita Malfatti e outros artistas modernistas

a) buscaram libertar a arte brasileira das normas acadêmicas europeias, valorizando as cores, a originalidade e os temas nacionais.
b) defenderam a liberdade limitada de uso da cor, até então utilizada de forma irrestrita, afetando a criação artística nacional.
c) representaram a ideia de que a arte deveria copiar fielmente a natureza, tendo como finalidade a prática educativa.
d) mantiveram de forma fiel a realidade nas figuras retratadas, defendendo uma liberdade artística ligada à tradição acadêmica.
e) buscaram a liberdade na composição de suas figuras, respeitando limites de temas abordados.

Alternativa A

A busca de Anita Malfatti e outros modernistas da primeira fase era afastar-se dos academicismos europeus e dar vida aos temas,cores e culturas brasileiras. O uso da cor e temas não era limitado, a arte desprende-se do papel de mera cópia da natureza ou de formatos fidedignos – o que inviabiliza todas as outras opções de resposta.

Gosta de temas artísticos e sabe que eles caem nos vestibulares? Então acompanhe o Blog do Estratégia Vestibulares e esteja antenado sobre os principais assuntos das Artes.

Aproveite para acompanhar nossas aulas de Artes para o vestibular 2022:

Conheça nossos cursos preparatórios para o vestibular, clique no banner abaixo:

Semana de Arte Moderna – Estratégia Vestibulares
0 Shares:
Você pode gostar também